Outras Trilhas

Qual é a sua bússola?

WikiLeaks: a Wikipédia que incomoda muita gente

Você talvez não conheça Julian Assange, o moço das madeixas douradas da foto acima. Mas, se gosta de documentos confidenciais, já deve ter esbarrado no site que ele ajudou a lançar, o WikiLeaks.

O projeto não tem nenhuma relação com a Wikipédia, mas ambos adotam a mesma interface e tecnologia. A idéia é incentivar as pessoas a denunciarem o mau comportamento de governos e corporações. É a Vazapédia, como bem definiu Ivan Lessa em uma crônica publicada no ano passado.

Segundo o WikiLeaks, todos os gargantas profundas são devidamente protegidos pelo anonimato eterno. Sim, é possível rastrear um email ou documento enviado por meio do endereço protocolo de Internet (IP, na sigla em inglês). Mas, segundo a revista New Scientist, o site utiliza o TOR (The Onion Router), que ajuda a proteger a “identidade” dos vazadores.

Um dos últimos grandes feitos do projeto (e há vários) foi divulgar as regras do Pentágono de engajamento de tropas no conflito no Iraque. O documento revelou que as tropas estavam autorizadas a perseguir ex-funcionários do governo de Saddam Hussein, além de terroristas, nas vizinhanças do Irã e da Síria. O documento era sigiloso e sua divulgação foi vista pelos militares como uma ameaça à segurança do país.

Por razões óbvias, o WikiLeaks tem incomodado muita gente desde que foi lançado, há 18 meses. As Forças Armadas dos EUA classificaram o site de “irresponsável” por divulgar informação confidencial. As queixas também partem de organizações como a Federation of American Scientists’ Secrecy Project. “Essa é uma ameaça ao nosso tecido social, baseado na lei; e eles estão dizendo que não há lei”, disse Steven Aftergood, chefe da instituição, para a Wired.

Há documentos bem interessantes no site. Mas a seção dedicada ao Brasil ainda deixar muito a desejar. Encontrei ali algumas matérias em português sobre o próprio WikiLeaks e uma menção ao jornalista Lúcio Flávio Pinto, o único “whistleblower” brasileiro do site.

Quem navega pelo WikiLeaks, pode pensar que o Brasil:

a) praticamente não tem vazadores,
b) não tem o que vazar,
c) só tem cabra medroso,
d) desconhece o WikiLeaks.

Fico, claro, com a alternativa d. E, definitivamente, descarto a opção c.

Anúncios

julho 3, 2008 - Posted by | Os Analógicos-Digitais | , , , , , , , , ,

Nenhum comentário ainda.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: